quarta-feira, 5 de março de 2008

Polícia reconstitui momentos finais de Heath Ledger


A polícia reconstituiu os momentos finais de Heath Ledger, revelando o caos que se instaurou em seu apartamento, em Nova York, logo após sua morte. A confusão toda inclui uma ligação para a atriz Mary-Kate Olsen, uma massagista desesperada tentando acordar o ator e a presença da empregada no quarto, momentos antes de ele ser encontrado morto.

De acordo com a polícia, Ledger morreu provavelmente entre 13h e 14h45, na terça-feira (22), e as autoridades por enquanto acreditam que a causa da morte tenha sido overdose acidental de remédios. Autoridades encontraram seis tipos diferentes de medicamentos no apartamento, incluindo remédios para insônia e ansiedade. Três das drogas foram receitadas a ele na Europa.

A empregada do ator, Teresa Solomon, teria entrado no apartamento com sua própria chave. Por volta das 13h, ela teria entrado no quarto para trocar uma lâmpada, viu Ledger dormindo e até escutou-o roncar. Ela deixou o quarto achando que nada estivesse errado.
Às 14h45, uma massagista chamada Diana Wolozin apareceu, para sua sessão agendada com o ator, que não atendeu a porta do quarto quando ambas bateram. Ela entrou no quarto, preparou a mesa de massagem e tentou acordar Ledger.

Wolozin disse à polícia que, a essa altura, o ator já estava frio, mas ela achou que ele estava apenas inconsciente. Ela pegou o celular de Ledger e ligou para a atriz Mary Kate Olsen, cujo número estava na memória – os dois eram amigos- e perguntou a ela o que deveria fazer.

Olsen, que também vive em Manhattan mas se encontrava na Califórnia, respondeu dizendo que enviaria seus seguranças privados para ajudar na situação. Na seqüência, a massagista ligou para o resgate. A atendente da emergência ainda orientou Wolozin nas técnicas de reanimação.

Os paramédicos chegaram minutos depois. Praticamente no mesmo momento em que os seguranças de Olsen também apareceram.

Autópsia

O corpo de Ledger foi encontrado pela empregada do ator em seu apartamento em Nova York, às 15h26 (18h26 em Brasília) desta terça-feira. Ela bateu na porta do quarto do ator para avisá-lo de que sua massagista havia chegado e encontrou Ledger inconsciente, deitado de bruços e nu. De acordo com a polícia local, foram encontradas também pílulas e uma nota de US$ 20 enrolada no quarto do ator. Ainda de acordo com a polícia, não havia resíduos de droga na nota, que foi encaminhada a um laboratório para testes.

Autópsia realizada na manhã de quarta-feira no corpo do ator teve resultado "inconclusivo" e serão necessários novos exames, informaram os responsáveis pelo procedimento. Ellen Borakove, porta-voz da equipe médica, disse que apenas em dez dias a investigação poderá ser completada.

A atriz Michelle Williams, ex-mulher de Heath Ledger, afirmou estar "arrasada" por causa da morte do ator. Williams, que tem uma filha de dois anos com Ledger, Matilda, estava em filmagem na Suécia quando recebeu a notícia.

Em entrevista ao "New York Times" de 4 de novembro, Ledger revelou que as filmagens do novo "Batman", no qual ele interpreta o vilão Coringa, o deixaram física e mentalmente exausto e que precisou tomar pílulas de um remédio chamado Ambien para conseguir dormir. O medicamento oferece riscos se ingerido em excesso ou misturado com álcool.

Além de "O Segredo de Brokeback Mountain", pelo qual foi indicado ao Oscar em 2006, e "Batman: The Dark Knight", previsto para estrear em julho, Ledger autou em filmes como "Eu Não Estou Lá", baseado na vida do cantor Bob Dylan, "Os Reis de Dogtown" e "10 Coisas que Eu Odeio em Você", entre outros. Atualmente, ele trabalhava em um projeto do diretor Terry Gilliam chamado "The imaginarium of Doctor Parnassus", previsto para 2009.

2 comentários:

Tássia disse...

Polícia reconstitui [b]momentos finais[/b] de Heath Ledger

Ainda dói ler essas noticias :(

Heri, hodie, cras, cotidie... disse...

É vir aqui e estar realmente bem informada sobre tudo que vem acontecendo desde a morte de Ledger! Este espaço é magnífico.