quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Nós vimos: Sessão IMAX de Batman - O Cavaleiro das Trevas



Por Fany Cavalcante
Pode conter Spoilers


E lá vou eu, com ingresso na mão há mais de uma semana, no domingo (08/02), atravessei a cidade para assistir a sessão das 18h00 no Shopping Bourbon Pompéia em São Paulo, a sessão da maior tela de cinema do Brasil. Com 14 metros de altura por 21 de largura a sala impressiona só nas descrições de matérias pela Internet. Imagina ver Heath Ledger na sua frente mais próximo ainda de você? Não sabe do que falando? Então aguenta aí!

É difícil ir assistir uma nova tecnologia sem saber como usá-la, é como se fosse uma compra de um celular, você pesquisa para saber como ele irá se adequar à você, no meu caso a sala IMAX tinha lá as suas qualificações que infelizmente eu só conseguiria sabé-las quando estivesse sentada na minha cadeira numerada H15!

Estima-se a existência de 300 salas IMAX em 40 países. Cerca de 60% estão nos Estados Unidos e a primeira da América do Sul foi inaugurada em Buenos Aires, Argentina.

And here we... go

Esta foi a terceira vez que eu vi o filme no cinema, e a cada vez que revejo o dvd, fica claro o quanto um personagem pode ser real nas nossas vidas. Bob Kane foi o gênio que trouxe um cara forte e cheio de perturbações para os quadrinhos, a figura de uma pessoa que usou o próprio medo para acabar com o medo das pessoas. A figura do Batman trazida para a tela é tão envolvente quanto você devorar as páginas do gibi pouco antes de assistir ao filme.
Eu estou falando de quadrinhos, pois quando li 'A Piada Mortal de Alan Moore' vi Ledger naquelas páginas como se tivesse saído delas para as telas, e vice-versa. A grande estupidez das pessoas é comparar atuações e fazer com que os atores se tornem rivais, o que eu quero dizer é que a grande magnitude da arte é ser diferenciado, seja fazendo um novo Coringa ou não.
A sessão começou às 18h00 em ponto, lá estava eu contando os minutos para a primeira cena do filme que é totalmente em IMAX, lembrando que NÃO são todas as cenas gravadas em IMAX, somente algumas. A diferença logo pode ser percebido no som da sala, que é na minha opinião TRI-Fodástica, a sensação dos primeiros cinco minutos de filme é de que você é refém naquele assalto a banco digno de Oscar. Cada cena englobada com os acordes de Hans Zimmer torna o filme cada vez mais especial, eu não irei alongar o que aconteceu, somente irei dizer que a sala vale a pena mas infelizmente o filme não é totalmente rodado nessa tecnologia. O que realmente importa é que será talvez uma grande oportunidade de ver o Heath Ledger demonstrando que merece ser lembrado para sempre em nossos corações.

Parabéns a toda a equipe do filme, por esse grande espetáculo rodeado de boa música, boa interpretação e mensagens para você refletir. Em meio a uma crise mundial, guerras, assassinatos e crianças passando fome, os homens estão perto da loucura ou já estão afogadas nelas pois: A loucura é como a gravidade... Só precisa de um empurrãozinho!

3 comentários:

disse...

o texto tá muito muito muito muito bom !

Anônimo disse...

Adorei o texto e todo seu conteudo, uma pena que o filme não esteja todo em IMAX, ...Mas valeu estas informações....

Nira Campos- São Paulo

Paula Espíndola disse...

Adorei a reportagem, Fany.
Parabéns!

Pow, não sabia que nem todas as cenas eram IMAX não. Que coisa hein!
Mais é como você disse, o bom é que dá para ver ainda mais o ledger de perto em algumas cenas, né. Isso é ótimo!

Concordo, a produção do filme está de parabéns!

Ahhh..e como eu queria ver.
hauhuahau...

Obrigada parceira! =)